Na ocasião, o consumidor recebe uma ligação para confirmar uma compra que ele não realizou. A vítima, então é informada que o cartão foi clonado e precisa ser destruído pelo banco. Quem está do outro lado da linha pega os dados, diz que irá dar início ao processo de cancelamento do cartão, solicita a senha e avisa que o banco irá mandar um motoboy recolher o cartão clonado. 


O golpe está sendo aplicado com várias bandeiras e bancos diferentes. Em alguns casos, os criminosos interceptaram as ligações dos consumidores para as centrais das instituições financeiras quando os usuários desconfiam de alguma irregularidade. 


"As pessoas precisam ficar alerta para este tipo de golpe. É de extrema importância que o consumidor nunca forneça seus dados ou a senha do cartão para ninguém. Vale lembrar que as instituições financeiras e bandeiras de cartão de crédito nunca recolhem o cartão. Ele deve ser destruído pelo próprio usuário", orientou o diretor do Procon/SC, Tiago Silva.